Home / Saúde /

Efeito Ferrugem: Tabagismo Promove Oxidação da Pele e Envelhecimento Acentuado

Efeito Ferrugem: Tabagismo Promove Oxidação da Pele e Envelhecimento Acentuado

por Dr. Francisco Neto

Que o tabagismo faz mal à saúde, todo mundo sabe, mas o mau hábito também pode causar diversos danos à beleza. Dos dentes amarelados à gengiva retraída, passando por cabelos opacos, quem mais sofre na verdade com os efeitos nocivos do cigarro é a pele.

Por causa do tabagismo, as células da pele passam por um processo acelerado de oxidação. É como se elas enferrujassem e, com isso, há um grau de envelhecimento muito maior do que naqueles que não fumam. A fumaça do cigarro é o principal fator ambiental, além dos raios UV do sol, que causa mudanças na pele, tais como rugas profundas e textura semelhante ao couro.

Há fortes evidências que sugerem que a fumaça do cigarro tem efeito negativo na aparência da pele. Fumar aumenta a produção de uma enzima chamada matrix metalloproteinase-1, resultante do aumento da ruptura das fibras de colágeno e da queda na produção de colágeno na pele. Com isso, há a perda da elasticidade e um maior enrugamento da cútis.

O tabagismo também causa uma constrição nos capilares da pele, reduzindo o suprimento de oxigênio no tecido. Daí o aspecto pálido e ressecado dos fumantes. Por mais que tentemos tratamentos estéticos, há um estudo da ONG britânica Action on Smoking and Health que demonstra que nenhuma quantidade de creme anti-aging é capaz de remover os sulcos e rugas provocados pelo cigarro. Conseguimos atenuá-las, mas nunca excluí-las. Quem quer uma pele bonita deve parar de fumar já.